ainanas.com - deixa-te viciar!
Menu
TED Talk Brutal Arrasa a “Luta contra as Drogas”
TED Talk Brutal Arrasa a “Luta contra as Drogas”

Numa palestra arrojada, Ethan Nadelmann faz um apelo apaixonado para acabar com o movimento "retrógrado, sem coração, e desastroso" contra as drogas.

A guerra contra as drogas tem feito mais mal que bem? Numa palestra arrojada, o reformista de política para as drogas Ethan Nadelmann faz um apelo apaixonado para acabar com o movimento “retrógrado, sem coração, e desastroso” contra as drogas.

Citando Portugal como exemplo de um país inteligente neste aspeto, Ethan apresenta o que descobriu após largos anos a estudar o fenómeno das drogas a nível mundial. Com muito humor e exemplos bem pensados, simples e ainda por cima legendado, merece mesmo ser visto.

Somos fortemente a favor da legalização.  Porquê? Porque a legalização impõe fiscalização, impõe normas, informação dos consumidores, padrões de qualidade. O principal risco associado às drogas é a FALTA DE INFORMAÇÃO e a falta de profissionalismo dos intervenientes no processo.

Dizer que as drogas leves são “gateway drugs” que abrem portas ao caminho de drogas pesadas e a que o pessoal fique viciado e morra de overdose faz tanto sentido como dizer que o leite materno é uma gateway drug. Afinal, foi por aqui que começaram o consumo!

Há quem tenha tendencia para consumir, há quem não tenha. Há quem saiba fazê-lo, há quem não saiba. A verdade é que legalmente ou não quem quer consumir consome. Somos a favor da legalização por uma questão de segurança e qualidade, não é para incentivar nem desincentivar o consumo, porque esse existe seja como for.

Lutámos CONTRA as lojas de drogas legais que havia há pouco tempo em Portugal. Porque essas lojas estavam a fazer um serviço ainda pior, vendendo drogas fortíssimas como se fossem coisas inofensivas, marcando-as como “incensos” ou “sais de banho”.

Nós defendemos uma legalização verdadeira, honesta, com qualidade e informação. Tal como acontece para qualquer outro produto.

Questões

“Discordo que o problema seja a falta de informação toda a gente sabe o que são, de onde vem, o que fazem, onde arranjar, riscos etc ….”

O que se compra aí nas ruas não tem o mínimo padrão de qualidade. Tens, na melhor das hipoteses, uma ideia vaga do que estás a comprar.

Pelo caminho, até chegar até ti, foi cortado umas 30 vezes, com medicamentos à toa, químicos, até veneno para ratos, só para aumentar a margem de lucro de cada intermediário.

E cada vez que compras “a mesma coisa”, tem misturas diferentes, graus de pureza diferentes, o que leva a potenciais acidentes/overdoses/intoxicações. Isto não acontece se houver uma padronização das substâncias e uma venda controlada e regulamentada. Não quer dizer que passe a ser vendido como doces, mas mais como medicamentos…


“O problema nisso Ainanas.com, é que não estamos a falar de substâncias pouco aditivas. Como é que vão arranjar regras de consumo para drogas como a heroína e metanfetaminas? Será que as pessoas vão cumprir essas regras? “

LEGALIZAR TUDO seria tão extremista como a situação que vivemos agora. Também não é isso que se propõe. Se vires o video, ele próprio diz que “metade da semana é contra, metade da semana á a favor”.

Não se pode é meter as drogas todas no mesmo saco e comparar a erva ou o LSD à heroína. O critério para o rigor do controlo deveria ser científico e baseado nos riscos reais da droga e não no puro preconceito e interesse económico como acontece agora.

Não há mesmo razão absolutamente nenhuma para substâncias como o LSD, a Cannabis ou mesmo o MDMA serem proibidas quando o alcool ou o tabaco são legais. Não tem fundamento.


“E facilitar o uso, aproveitando-se a situação para ganhar dinheiro com impostos é o correcto? É que pela lógica, legaliza-se tudo que é mau.”

Legalizar não é facilitar o uso, é regulamentar o uso. Quando é ilegal, o uso existe à mesma.. mas é completamente à balda.

Quando é legal, há regras para o consumo, a venda, a publicidade, e todas as atividades relacionadas. Quando é ilegal, os bandidos fazem o que bem quiserem e os consumidores não têm ninguém que os defenda.

Legalizar não é “sirvam-se, façam o que quiserem!!!”. Legalizar é criar normas e regras para um consumo que já existe, mas é completamente desenquadrado.


“Toda a gente sabe isto começa no “charrito” e depois de 1 ano ou 2 chaga á heroína, e é o que se vê…. A esmagadora maioria das pessoas que consomem drogas pesadas , comessaram nas leves. Nao percebes isto?!”

O que tu estás a dizer é verdade Nuno: a maior parte dos utilizadores de drogas pesadas começou nas drogas leves.

É complicado explicar-te isto, parece-me que vai ser um bocado abstrato demais para perceberes mas não tem a ver com drogas nem com assunto nenhum em particular, tem a ver apenas com lógica.

Deste facto:
A maior parte dos utilizadores de drogas pesadas começou nas drogas leves.

Não se pode concluir aquilo que disseste:
A maior parte dos utilizadores de drogas leves acaba nas drogas pesadas.

Para além da falácia, a verdade factual é que realmente a maior parte dos utilizadores do que se considera drogas ligeiras não evolui no consumo até às drogas chamadas pesadas.


MERECE O TEU LIKE?


PARTILHA ESTE POST


Categoria/s: Curiosidades